Carregando

Paróquia Nossa Senhora de Lourdes – Ibirarema

A nossa historia teve inicio numa pequena povoação denominada PATRIMÔNIO DO PAU D’ALHO, que se estendia ao longo da margem direita de um pequeno rio com esse mesmo nome, ao meio de exuberantes e fertilissima terras, com predominância de uma arvore de madeira mole e com cheiro forte, conhecida pelo nome popular de pau d’alho, na linguagem tupi IBIRAREMA e que por isso mesmo, num primeiro momento talvez, emprestasse o nome ao rio que banhava e à povoação que surgia e num segundo momento, o nome indígena ao município que emancipou.

O antigo patrimônio do Pau Dálho foi uma povoação que nascera, talvez, pela necessidade dos moradores que se espalhavam ao longo do Rio Paranapanema, para o enterro de seus mortos, pois a criação de um povoado com cemitério, encurtaria bem as distâncias que se tinha de percorrer, procurando os de Platina – SP, Bela Vista ( atual Echaporã), Campos Novos do Paranapanema ( atual Campos Novos Paulista) ou Salto Grande, e, ainda mais, por ser ali, um ponto de pousada forçada para os viajantes que se dirigiam do já grande vilarejo de Campos Novos do Paranapanema ( atual Campos Novos Paulista) a Salto Grande do Paranapanema ( atual Salto Grande), rumando a Cerqueira Cesar e vice-versa.

Os Moradores tementes a Deus e abandonados neste sertão bravio, por volta de 1911 construíram ali uma Capela de madeira (Foto ao lado), tendo como capelões sucessivamente os senhores: José Matimiano Diniz, Artur Olegario Diniz, Cezarino Martins Xavier e por Ultimo o Sr José Diniz, hoje com 86 anos de idade, residindo a Rua XV de Novembro, nº , nesta cidade de Ibirarema.

Nos primórdios de 1909, quando as primeiras explorações para a futura passagem da Estrada de Ferro Sorocabana, que, acompanhando o rio Paranapanema, rumava para o Estado de Mato Grosso, naturalmente, teve de passar pelas terras que circundavam a pequena povoação de Pau D’Alho.

No quadro ao lado temos uma noticia do Jornal “ Correio Paulistano” do dia 21/11/1912 de informando sobre o avanço da Estrada de Ferro Sorocabana, que havia chegado ao lugar denominado de Pau D”Alho. Foi então, mais ou menos em 1913, alguém teve a ideia de se transferir para mais perto da via férrea, instalando-se junto à picada demarcatória da Estrada de Ferro, e outros, juntaram-se aos primeiros, abandonando à primitiva povoação e passando-se para a segunda nascente. Com o abandono de quase todos os seus moradores, esse povoado, perdeu-se por completo, emprestando até mesmo o seu nome ao segundo, sendo que nos dias de hoje, somente as ruínas abandonadas do cemitério, pequenos sinais do povoado e uma capela com o nome de Capela do Pau D’Alho, restam ali. Em divisão territorial datada de 01/07/1960, as terras que guardam estes requisitos passaram a pertencer ao município de Palmital.

Entre outras pessoas vindas de princípio, destacam-se os nomes de João Corrêa, primeiro dono de “venda”, instalada nas terras de propriedade de Nadario Marana, sendo que este último, com a chegada dos primeiros trilhos da estrada de ferros, teve de arrancar a sua segunda casa ainda em construção, para dar lugar à linha que avançava, e, à poucos metros atras, ergueu-se o primeiro ” rancho” para as paradas dos trens e guarda das ferramentas e depois, a Estação definitiva da Estrada de Ferro sorocabana.

Por volta do ano de 1.916 uma nova capelinha em madeira foi construído em terras do novo povoado que surgia junto a estação ferroviária, Nesta época o ainda Patrimônio do Pau D’Alho pertencia a Diocese de Botucatu, tendo como Bispo Dom Duarte da Costa (Bispo de Maura) e nessa capela se celebrava a missa uma vez por mês.

Por volta dos anos 1.925/1.928, 0 Padre de La Torre constituiu uma comissão para a construção da Nova Matriz e por ocasião do lançamento da Pedra Fundamental contou-se com a presença do Bispo de Botucatu.

 

Em 1.919 é criada a Diocese de Assis, tornando-se o distrito pertencente a nova Diocese, mais tarde no ano de 1.935, mais propriamente no dia 18/06/1935 o Sr Francisco Duarte e esposa doaram a mitra Diocesana de Assis um terreno medindo 60m por 60 metros, perfazendo uma área de 3.6000 metros quadrados para a construção da Igreja Matriz, o que ocorreu no período de 1939 a 1942, a nova Igreja Matriz (Foto ao lado) teve como padroeira Nossa Senhora de Lourdes e em 1948 foi construído por Luiz Martins Ferreira, primeiro prefeito eleito de Ibirarema, o jardim da praça, cujo espaço hoje é conhecido oficialmente como Praça Francisco Duarte ou ou popularmente Praça da Igreja Matriz. Dessa Nova Matriz, só nos resta a torre, pois foi reconstruída e ampliada no período de 1.968 a 1,977 pelo padre Pio Matuzalem.

Antes de se tornar Paroquia, a capela pertencia a Paroquia de Salto Grande e o seu desmembramento deveu-se ao Decreto de Dom Antonio Jose dos santos no dia 30 de outubro de 1.955.


A Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, situada na cidade de Ibirarema iniciou-se no distrito de Água do Pau D’Alho, pertencentes a Campos Novos Paulista, por volta do ano 1913.

Pertencendo à Diocese de Botucatu, em 1916, por ocasião da estrada de ferro Sorocabana, construíram uma capelinha de madeira ao lado da estação ferroviária, celebrando-se o Sacramento da Eucaristia uma vez por mês.

Assim se encontra no Livro Tombo:

Iniciou-se como Água do Pau D’Alho no ano de 1913, em terrenos que pertenciam ao município de Campos Novos Paulista.
Com a construção da estrada de ferro Sorocabana, em meados de 1913, o patrimônio do Pau D’alho, localizado as margens do Rio Pau D’alho, passou a ser construído junto à estação ferroviária a nova capelinha de madeira, por volta de 1916. Nessa época, Pau D’alho pertencia à Diocese de Botucatu, tendo como bispo Dom Duarte da Costa (Bispo de Maura). Nessa capela, celebrava-se a missa uma vez por mês.

No ano de 1925, o Padre La Torre, missionário Francês, constituiu uma comissão para a Construção de uma igreja maior a fim de se tornar matriz. Essa comissão se reuniu durante algum tempo até conseguirem o lançamento da Pedra Fundamental com a presença do Bispo de Botucatu.
Neste tempo por meio da Constituição Apostólica Sollicitudo Universalis Ecclesiae de 30 de Novembro de 1928, pelo Papa Pio XI, foi desmembrada da Diocese de Botucatu, atualmente Diocese de Assis. Assim sendo, o distrito Água do Pau D’Alho tornou-se responsabilidade da então Diocese de Assis.
Francisco Duarte e sua digníssima esposa doaram à Diocese uma área de 60×60 metros para a construção na nova capela. Tal doação foi realizada e passada em cartório no dia 18 de julho de 1935.

A Igreja ficou belíssima e embora menor, foi uma réplica da Igreja de Lourdes na França. Na época, foi dedicada à Nossa Senhora de Lourdes por causa da grande devoção popular na região e também foi entronizada juntamente com a Santa a Imagem de São Sebastião.

A Capela Nossa Senhora de Lourdes do distrito de Água do Pau D’Alho ficou sob a responsabilidade da Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio do município de Salto Grande.

No dia 30 de outubro em que o Martirológico Romano Celebrava São Geraldo, bispo de Potenza, juntamente com os santos e os bem aventurados: São Serapião de Antioquia, São Marcelo Centurião, São Astério, São Germano de Cápua, Bem Aventurado Benvenuta de Cividale, Bem Aventurado Dorotéia de Montau, Bem Aventurado. Ângelo de Acri, Bem Aventurado Aleixo Zaryckyj e Bem Aventurado Terêncio O’Brian; por Mercê de Deus e para o bem do povo santo de Deus, Dom Antônio José dos Santos no ano de 1955 fundou a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes no distrito de Água do Pau D’Alho.

Em 1939, ocorreu a primeira visita pastoral à paróquia sendo feita pelo mesmo bispo que a fundou. Nesta época, ainda não se tinha a casa paroquial, o que na ocasião foi solicitado pelo bispo a construção da residência.

Com o pedido feito pelo bispo, iniciou-se a construção da casa paroquial que, somente em 1958, foi inaugurada pelo Padre Adolfo Emerich.

No ano de 1970, o Padre Pio Matuzalém iniciou uma grande reforma na paróquia, desmanchando toda a Igreja e mantendo apenas a torre e uma parte da fachada da Igreja antiga, gerando grande conflito em toda comunidade. A reinauguração ocorreu somente em 10 de outubro de 1991.

Em seguida, após a demolição da Igreja foi realizada a reconstrução da nova casa paroquial, que foi construída em um projeto vanguarda para a época, inspirando varias residências posteriores.

Em 1978,  o Padre Maurílio Marques iniciou a construção da Capela Nossa Senhora Aparecida no Bairro do Ribeirão Vermelho.

Em 30 de dezembro de 1998 foi criada a Diocese de Ourinhos pelo Papa João Paulo II, pela Constituição Adaptius Consulendum, tendo como seu primeiro bispo Dom Salvador Paruzzo, que está até hoje coordenando o Clero. Seu território foi composto por regiões desmembradas das dioceses de Assis e Itapeva, além de integrar a Arquidiocese de Botucatu .

Em 19 de março de 1999, Dom Antonio Mucciolo, Arcebispo de Botucatu, ordenou na cidade de Vargem Grande Paulista, o primeiro bispo de Ourinhos.

Dois dias depois, a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes participou da posse do novo bispo sendo representada pelo Padre Silvio Eduardo Cardozo, Angelo Biazi, Ivone Biazi, Joana Batistina Fernandes, Terezinha Mendes Pereira e Elídia Mendes Martins.

Em 15 de Julho de 1999 inaugurou-se o Asilo Padre Adolfo Emmerick contando com a presença dos bispos Dom Salvador (Ourinhos) e Dom Antonio (Assis), Padre Silvio e a Congregação das Irmãs Nossa Senhora da Consolação, consagrando a Capela ao Senhor Bom Jesus, em consonância com a nova Diocese.

De 6 à 9 de abril de 2000 ocorreu a primeira visita pastoral de Dom Salvador na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes cujo tema foi “Bem Aventurados os puros de coração”.

No mesmo ano, Deus suscitou um carisma novo na comunidade paroquial e assim nascia a Comunidade Resgate. Assim eles se apresentam:

Comunidade Católica Resgate surgiu no início do ano 2000 quando quatro jovens foram convidados a participar de um acampamento juvenil na cidade de Assis. Dentre estes jovens estava o fundador da Comunidade Católica Resgate, Sinésio Henrique Bezerra.
Eles voltaram do acampamento cheios do Espírito Santo e com o grande desejo de evangelizar, começaram então a convidar outras pessoas a participarem deste encontro com objetivo de montar uma equipe para realizar acampamentos em Ibirarema. A alegria e o fogo do Espírito Santo foram contagiando outros jovens e no inicio de abril do mesmo ano, exatamente nos dias 01 e 02 foi realizado o 1º Retiro Juvenil. Nesta ocasião foram convidados jovens que já atuavam na Paróquia para montar a equipe de trabalho. Muitos toparam, outros acharam loucura, enfim foi formada a equipe contendo ministério de música, intercessão, pregadores, limpeza, manutenção, etc.. Mas ainda faltava a equipe de cozinha, então para compor esta equipe foi convidada a pastoral Familiar. Na época, eles aceitaram com um pouco de receio por se tratar de jovens, mas a equipe estava pronta.

Em Fevereiro de 2001 iniciou-se a reforma do salão paroquial e no mês seguinte, o Padre Silvio voltou para a Diocese de Assis, ficando o Padre Nilton de Campos Novos realizando as celebrações na paróquia.

No curto período de 10 de janeiro à 27 de abril de 2002, assumiu a paróquia o Padre Lucimar Geraldo Martins Dias. Porém, o sacerdote não se adaptou às realidades pastorais da nova Diocese. Sendo assim, de 29 de Abril de 2002 até 06 de Junho de 2003, a comunidade ficou sob a responsabilidade do Padre Nilton novamente.

Em 15 de Setembro chegou o Diácono Osmar Miguel da Silva e foi ordenado Sacerdote no dia 28 de Setembro de 2002 tendo por lema: “Darei minha vida por Ti” (Jo. 13, 27). Primeiramente atuou como vigário desta comunidade até que em 06 de junho de 2003 tornou-se administrador paroquial.

Em 2003, os benfeitores Natal Zilio e Walter de Paula Lima doaram dois terrenos aonde se localizam hoje a Capela da Mãe Peregrina, no Jardim Silvio Ziglio na Rua Vereador Euzébio Paula Lima.

Dois anos depois, comprou-se o terreno para a construção do Centro Catequético na Rua Doutor Júlio Prestes, nº 186. Em fevereiro deu início à construção.

Do período de 27 de abril à 1º de maio ocorreu a segunda visita pastoral do bispo Dom Salvador com o tema: “O Senhor é meu único Bem” com o enfoque na Eucaristia por ser o ano Eucarístico.

Com o passar dos anos, a Igreja de Nossa Senhora Aparecida caiu. No ano de 2008, o Grupo de Oração daquela comunidade juntamente com a comissão da capela e o seminarista Rivanildo, hoje sacerdote da Igreja para o povo de Deus, construíram a atual capela Nossa Senhora Aparecida e São Gabriel, contando com a doação generosa de inúmeras pessoas.

Em 2014, Dom Salvador Paruzzo nomeou o Padre Altair Aparecido Gaiquer como Administrador Paroquial. Tal Reverendo continuou com a função de Reitor do Seminário Diocesano São José e atuando na paróquia às quartas-feiras e aos finais de semana.

No dia 27 de abril o Padre Altair lançou a Pedra Fundamental para a construção de uma sede de formação e evangelização São João Paulo II, para a Comunidade Resgate.

Em dezembro do mesmo ano, Dona Elídia Mendes Martins responsável por registrar a história da paróquia, veio a falecer causando grande tristeza na comunidade, assim consta no livro:

Falecimento de Elídia Mendes Martins (25/04/1941 – 19/12/2014), aos 73 anos, sendo que 60 anos de sua vida se dedicou com muito empenho e dedicação a nossa paróquia. Vinda de uma boa família e com formação no Colégio das Freiras Irmã Paulínea, iniciou como catequista, auxiliando e fazendo parte de outras pastorais, como os vicentinos e a pastoral do batismo, participando do COM e exercendo o Ministério Extraordinário Eucarístico e terminando como coordenadora da pastoral catequética, função ao qual se dedicou com muito amor e serenidade. Como reconhecimento a toda essa vida presente em nossa comunidade o Padre Altair presidiu a missa de corpo presente com a presença dos padres Maurílio, Silvio e Osmar, além de seus familiares e toda a comunidade no dia 20 de Dezembro de 2014 às 15h00.

Em 6 de janeiro de 2015, Dom Salvador nomeou o Padre Antônio Gomes Messias para ser o Administrador Paroquial. Todavia, somente depois da festa da padroeira, dia 11 de Fevereiro, o respectivo padre tomou posse.

No dia 28 de março, às 15h00 instituiu-se na paróquia o “Cáritas”, na presença do responsável pelas Cáritas Diocesano, Padre Robson. Assim sendo, o Padre Messias era o presidente e Juliano de Oliveira, o vice.

Em 12 de abril, com a Benção do Bispo Diocesano inaugurou-se no Bairro da Figueira a Comunidade Terapêutica Vale da Ressureição, com o objetivo de realizar o tratamento da dependência química e alcoolismo.

Dos dias 17 à 21 de Julho de 2015, realizou-se a terceira visita pastoral. Teve por tema a reflexão do Papa Francisco à Igreja: “Igreja que é o povo da Nova Aliança”. Na ocasião, o Bispo Diocesano Dom Salvador pediu para que a Igreja se tornasse um Santuário Diocesano e solicitou algumas reformas.

No mês de agosto de 2015 o Padre Messias iniciou a reforma da Matriz, após a aprovação do CPP. Todavia, na reforma incluía a saída da imagem de São Sebastião bem como a retirada das passagens da Via-Sacra, que eram pintadas em azulejos portugueses. Na época, a decisão gerou muita confusão e discórdia na comunidade. Assim se encontra nos registros:

O Padre Messias realizava na diocese um excelente trabalho com os tóxicos dependentes e as vítimas do álcool, sempre se colocando ao lado dos fracos e marginalizados. Todavia, esse carisma que ele carregava não convinha nesta comunidade paroquial neste determinado tempo, tendo sido uma escolha não muito acertada por parte daqueles que a escolheram. Assim sendo o Pe. Messias voltou para Arquidiocese de São Paulo.

No dia 5 de janeiro foi nomeado Administrador Paroquial o Padre Rinaldo Peder Rosa. Na época, metade da Igreja estava reformada, faltando ainda muita obra a ser feita. Para resolver a situação, reuniu-se com o CPP e definiu o que deveria ser feito. Por causa das chuvas houve-se a necessidade de reparar urgentemente parte do telhado e do forro. Sendo assim, foi decidido vender o carro da paróquia para conseguir realizar tal reforma.

Pela sua experiência, Padre Rinaldo conseguiu finalizar a primeira parte da reforma da Igreja, bem como pastorear as ovelhas desgarradas para junto caminharem na comunidade. Realizou várias semanas especiais e juntamente com o Bispo Diocesano, abriram a Porta Santa na Capela do Asilo, levando a Misericórdia de Deus aos idosos e a toda comunidade.

Com a saúde dos pais fragilizada e morando distante de Ibirarema, Padre Rinaldo solicitou sua transferência à Diocese de Maringá-PR para ficar mais próximo do convívio familiar na cidade de Nova Esperança-PR.

Na Solenidade da Imaculada Conceição, em 8 de dezembro, o padre anunciou à comunidade que iria ser transferido e três dias depois juntamente com o CPP, organizou a festa da padroeira no ano mariano.

Em 27 de dezembro reuniu-se a equipe litúrgica e foi apresentado o Padre Rafael Figueiredo que assumiria e continuaria a missão nesta Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes.

No dia 9 de Janeiro de 2017 ocorreu a acolhida oficial ao CPP e a alguns membros da comunidade. A chegada do novo pastor ocorreu somente no dia 24 de Janeiro de 2017.

Em 25 de janeiro, Conversão de São Paulo, Padre Rafael celebrou solenemente sua primeira missa como administrador deste povo santo de Deus.

Foi realizada também a Novena de Nossa Senhora de Lourdes que contou com a participação de diversos padres que trabalharam nesta paróquia, refletindo junto ao povo o Magnifica de Maria, realizando com os mesmos temas que a novena em Lourdes na França.

No dia 11 de fevereiro,  às 9h da manhã, foi realizada a solene Missa com o Bispo Dom Salvador onde se realizou pela primeira vez a unção dos enfermos na festa de Nossa Senhora de Lourdes.

Realizou-se neste ano de 2017 o primeiro Tríduo em Louvor à Santa Bernadete, contando com a presença de seminaristas e religiosas da Diocese de Ourinhos e, no dia da Festa (18), realizou-se a posse do Padre Rafael Figueiredo como Administrador Paroquial.

Atualmente a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes de Ibirarema conta com 7 (sete) setores, 27 (vinte e sete) pequenas comunidades, várias pastorais e movimentos eclesiais, sempre trabalhando em união para serem sinais do Reino de Deus.

 

Fonte: http://pnslibirarema.org.br/a-paroquia/